Feeds:
Posts
Comentários

Velhos tempos

Eu sempre cresci escutando os velhos falarem de como seu tempo era melhor, mais fácil e simples e acreditei fielmente que quando eu me tornasse mais velha isso não ia acontecer comigo, mas com a explosão de Justin Bieber, Restart, Cine, entre outros sou forçada a admitir… Ah, velhos tempos.

Eu cresci escutando bandas como “É o Tchan” e “Olodum”, era o que minha mãe escutava e por conseqüência o que eu escutava também, tinha lá seus pontos positivos, mamãe me incentivou a escutar Mamonas Assassinas por exemplo.

Ainda bem nova me mudei para Bolívia, eu mantive meu mesmo gosto musical, pois, a única coisa que tinha para comparar eram as musicas Bolivianas que realmente não eram boas, imagine alguém tocando uma musiquinha de índio em uma flautinha esquisita, imaginou? Era isso ou a outra única coisa que eu conhecia: Axé e Pagode.

Três anos depois convencida de que a musica brasileira era a melhor musica do mundo (leve em consideração que a Boliviana é pior ainda) eu volto ao Brasil e escuto Link Park.

LK foi o primeiro passo para eu gostar das bandas que eu escutei hoje, até aquele dia em que escutei In the End pela primeira vez meu mundo se restringia a musicas ruins, eu acabava de conhecer a internet e o Kazar então passei um pouco do meu tempo procurando outras bandas que fossem parecidas com LK. A segunda banda boa que escutei foi Rammstein com mais um clássico: Du Hast. Dai em diante eu parei de escutar Axé e Pagode, descobri que havia musicas boas no mundo.

Eu parei de escutar a radio e comecei a gravar meus próprios CDs em uma época em que nos usávamos Disc Walkmans (porra, levei um tempo pra lembrar o nome dessa coisa e ainda não tenho certeza se acertei), aquele trambolho enorme bem diferente dos MP3 e Iphones de hoje em dia. Eu andava pra lá e pra cá sempre escutando as mesmas musicas, o mesmo CD porque era um saco ficar trocando de CD. (Hoje penso o quão tudo é mais fácil).

No entanto, eu não deixava de escutar a radio porque achava as musicas que tocavam necessariamente ruins, mas as que eu escutava no momento eram melhores. Hoje, eu não consigo ficar muito tempo escutando radio, não vou dizer que Restart, Cine ou qualquer outra banda esquisita toque mal, mas as letras de suas musicas simplesmente não me inspiram a ficar escutando, e, quando não são eles que estão tocando escutamos a mesma musica repetida como “Alejandro” (eu gosto de Lady Gaga, mas essa musica simplesmente me tira dos nervos) o que me faz pensar “ah, os velhos tempos…”

Eu sinto falta, quando meu Walk acabava a pilha eu ainda tinha a esperança de escutar um sambinha gostoso, quem sabe um Marcelo 2D, Cássia Eller, entre outras bandinhas, era diferente, eram musicas legais para se escutar, cuja letra não era repetitiva nem idiota.

 

Hoje só consigo pensar: Aonde estão as boas musicas brasileiras? A ultima vez que me lembro de ter escutado algo bom na radio, brasileiro, foi quando saiu “Nina do Condomínio” e olhe lá.

Ah.. velhos tempos… era tão tudo tão mais fácil, tão melhor …

Zombieeeeesss …

Varias vezes fico com tédio, quando wow, grand chase ou starcraft não me distraem na net, eu parto para os zombies, passo um tempo baixando e vendo filmes que, as vezes, nem sempre tem haver com zombies mas a logica é sempre a mesma … acontece uma infecção -> alguém age esquisito / agressivo / louco -> todos são dizimados (eles sempre são dizimados)

Então, vou deixar aqui dois dos meus sites preferidos para baixar filmes de zombies ^^

Zombie Outbreak

Os Mortos Vivos

Barulhos para dormir

Eu sempre gostei de dormir com o barulho de chuva, mas, Brasília está a uns 4 meses sem chover e isso diminui as chances que tenho de dormir com aquele barulhinho gostoso.

No entanto, o site Free Sleep Music disponibiliza alguns sons para dormir, vão dês do barulho da onda do mar, tempestades, chuvas leves ou barulhos da floresta.

Os downloads não são pesados e fáceis de conseguir, depois de clicar em download clique no player com o botão direito e escolha a opção “Salvar vídeo como …”

Grau 26

Grau 26 – A origem, do mesmo criador de CSI

O livro é realmente muito bom, eu não li todo, estou quase na metade e simplesmente não consigo desgrudar os olhos, 100 paginas voaram como se tivesse lido 20. A historia é sobre um assassino que cujo nome dado foi: Sqweegel.

Também é o primeiro livro que tem filmes, a cada 2 .. 3 .. 4 capítulos há uma senha, você acessa o site e tem a oportunidade de ver um vídeo que mostra algo extra do livro e que não faz falta, você pode continuar lendo o livro sem ver os vídeos, mas é deveras interessante. Eles complementam a historia, todos são em inglês mas possuem legenda em português.

Vou deixar o trailer para vocês:

Gato Frekado

E depois Mãe não entende porque eu queria ter um gato …

Novo Godzila

Warner Bros e a Legendary Pictures, que já renderam bons filmes como 300 e Batman o Cavaleiros das trevas pretende fazer um novo longa para Godzila em seu estilo americano, segundo Warner o monstro como todos os conhecemos ganhará uma nova versão e seus direitos já foram negociados, já que ele pertencia a empresa japonesa Toho Co.

“Nosso plano é produzir o Godzilla que nós, como fãs, gostaríamos de ver. Pretendemos fazer justiça aos elementos essenciais que permitiram esse personagem permanecer como um ícone da cultura pop relevante por tanto tempo. A produtora está empolgada em criar um novo e moderno épico baseado nele”.

Simplicidade

Simples é aquilo que não é composto, complicado, não tem enfeites, puro, claro, inocente, singelo, natural, modesto, fácil e embora signifique tudo isso não há coisa mais difícil de fazer do que ser simples.

A vida é complicada não porque seja de verdade, mas porque todos nos a complicamos um pouco. Enrolamos namorados esperando que as coisas se ajeitem ao em vez de dizer que não os queremos mais, evitamos pessoas porque não temos a audácia de encará-las, inventamos bilhões de desculpas só para não dizer que não queremos fazer.

É claro que ninguém admite a si ou para outros que uma ação é realmente simples, não queremos admitir que não conseguimos fazer, então usamos a desculpa “não é tão simples quanto parece” quando na verdade é, sempre foi.